29 de jan de 2013

Lonely Hearts Club, Elizabeth Eulberg | Editora Intrínseca | 2011, 240 páginas
Lonely Hearts Club realmente é um livro que pode ser considerado sessão da tarde, mas simplesmente é um daqueles que se lê em algumas horas. Terminei em 6 horas a leitura, com pausas, a narrativa é rápida e não tem muita enrolação.
Nesse livro conhecemos a historia de Penny Lane Bloom que, aos 16 anos como a maioria das adolescentes, sofreu uma decepção amorosa. o menino que ela foi apaixonada toda a vida e que estava namorando a trai com outras garotas (bem clichê mesmo), e a partir desse momento ela funda o clube Lonely Hearts, que é para garotas que não precisam de meninos para serem felizes. A repercussão é tão grande que acaba afetando a vida social de toda a escola e está armada a confusão (beeem sessão da tarde). Mas o que Penny Lane não imaginava era que ela ia trair o que se prega no clube.
Ok, a main story é essa, mas temos todo um universo diferente rondando a historia. Simplesmente o livro é todo cheio de referências aos Beatles, começando pelo nome do livro e a capa. Na historia, os pais de Penny Lane são fanáticos pelos Beatles, se conheceram no dia da morte de John Lennon e colocaram os nomes das três filhas de, Lucy, Rita e Penny Lane. São vegetarianos e não curtem tributos aos Beatles, segundo eles nada se compara aos originais e seria uma afronta ir a shows tributos. Das três irmãs, Penny Lane é a única que realmente gosta dos Beatles, para ela foram os únicos meninos que não a decepcionaram. O livro é dividido em fases e em cada fase tem um trecho de uma música deles que nos ajuda a entrar no clima do que vem a seguir.
A personagem Penny Lane é uma típica adolescente que está em uma fase de descoberta e decisão rápida em sua vida, além da busca pelo amor adolescente que tantas sonham nesse período. É visível o quanto a personagem cresce durante a historia e o quanto às vezes a felicidade está ao seu lado e você não quer ver. Apesar da historia bem água com açúcar, as referências nos ajudam muito a gostar do livro. Recomendo para ler nas férias que não temos muitas coisas para fazer, dá tranquilo para ler em uma tarde.


Bom, gente, essa foi mais uma resenha da Katis. Eu, Samuely, não li Lonely Hearts Club ainda, mas quando tiver tempo sobrando vou procurar, com certeza! Gosto muito dos garotos de Liverpool e isso vai cooperar bastante com minha simpatia pelo livro :)
Boa semana!

2sleep