6 de set de 2011


“Que posso fazer, me diga, Norminha, se ele é minha sina? Largar ele por aí, sozinho, sem ter quem cuide dele? Que posso fazer, me diga, se eu sou doida por ele e sem ele não saberia viver?”

Jorge Amado em Dona Flor e seus dois maridos.

Passando bem rápido... só pra deixar passagens interessantes de livros que estarei lendo. Vou achar um nome bacana pra essa coluna.
Essa aí é de Dona Flor... doida, apaixonada por seu Vadinho.

2sleep