27 de ago de 2011

Sinopse do Skoob: Uma carta perturbadora chega via correio com uma simples declaração ao final: "Veja como conheço seus segredos - apenas pense em um número." Errará quem pensar que uma carta dessas chega a seu destino final apenas por obra do acaso. Para o detetive aposentado da polícia de homicídios da cidade de Nova York, Dave Gurney, que está formando uma nova vida ao lado de sua esposa Madeleine, as cartas começam a deixar de ser estranhas para se tornarem um complicado quebra-cabeça que levará a uma enorme investigação sobre assassinatos em série. Trazido para o caso como consultor, Gurney em pouco tempo percebe pistas que a polícia local deixou passar. Ainda assim, diante de um oponente que parece ter o dom da clarividência, Gurney vê seus esforços irem em vão, seu casamento rumando a um precipício e, finalmente, um medo incontrolável de que seu adversário não pode ser parado.


A princípio todas as pessoas que me viam com esse livro na mão pra cima e pra baixo me olhavam torto. À primeira vista esse título não conecta diretamente ao suspense policial carregado de enigmas.
Mark Mellery, recuperado de um passado aflito pelo poder da “consciência, paz e clareza”, agora um guru da autoajuda, recebe pelo correio uma carta provocadora que termina da seguinte forma: “Se alguém lhe dissesse para pensar em um número, sei em que número você pensaria. Não acredita? Vou provar. Pense em qualquer número de um a mil – no primeiro número que lhe vier à mente. Visualize-o. Agora veja como conheço seus segredos.”
Mellery pensa no número 658 e, ao abrir um envelope que acompanha a mensagem, descobre que o autor da carta previu corretamente o número que ele acabara de escolher de modo aleatório. Como isso seria possível?
Absolutamente desesperado com os bilhetes ameaçadores, poemas escritos à mão com tinta vermelha e métrica perfeita, que se seguem à carta, Mellery procura um velho colega de faculdade, detetive aposentado David Gurney, que recentemente havia se mudado com a inteligentíssima mulher, Madeleine, para uma fazenda no interior do estado.
Gurney tenta ao máximo se adaptar ao novo estilo de vida, gostar do campo; Madeleine é extremamente frustrada com esse aspecto, alegando que a mente de Gurney nunca deixou as atividades de detetive totalmente. E, agora, a atenção dele é fisgada pelo quebra-cabeça apresentado por Mark.
Como avisado em alguns bilhetes, as ameaças do vilão terminam em morte. As pistas sem sentido levam a crer que o assassino, além de ser ‘ler mentes’, cometeu um crime impossível, desaparecendo no meio do nada, deixando apenas pistas que ele QUERIA que a polícia (aos quais ele chama de imbecis) entendesse como: peguem-me se forem capazes.
Consumido pelo desafio de encontrar uma resposta lógica para o caso, Gurney aceita trabalhar como consultor na investigação, colocando em risco seu já debilitado casamento e até mesmo sua vida.
Achei o início um pouco maçante, mas um pouco mais pra frente não consegui mais parar de ler. Pra não contar spoiler, resumirei: depois de um tempo você fica mais ansioso pra descobrir o PORQUÊ do que COMO o assassino fez aquilo.
Mais mortes com as mesmas características acontecem e Gurney se vê enfrentando um serial killer. As provas estão por todos os lados, como montar esse quebra-cabeça?
Com a ajuda imprescindível de Madeleine, a mente brilhante de Gurney está sempre adiante de nós leitores, mas Verdon acaba por dar as deixas em detalhes bem interessantes na construção da narrativa.
Enquanto busca um padrão que possa ajudá-lo a deter o assassino, Gurney enfrenta seus próprios fantasmas, e descobre sentimentos reprimidos desde sabe-se lá quando.

"– Só há uma saída de um beco sem saída."

Acho que Verdon poderia ter explorado mais as ligações familiares do detetive, mas mesmo assim foi o suficiente pra se entender o nível de relacionamento entre elas. Acho que a participação de Kyle foi um tanto breve, e de Sonya, que dizer? Foi só pra enfatizar a fragilidade do casamento de David e Madeleine, só pode...
Fora isso, o livro é incrível, e , acho que todo mundo já sabe, adoro esse gênero, suspense, policial. John Verdon foi muuuuito aclamado pela crítica e é considerado uma revelação.

“De forma magistral, Verdon mantém seu protagonista sempre um passo à frente do leitor. E cria o tipo de mistério que faria Sherlock Holmes perder o sono.” - The New York Times

Recebi esse livro pela editora parceira Arqueiro e ele tem um aplicativo bem interessante no Facebook, vai lá brincar!
Nem sei quanto tempo eu e meus amigos passamos fazendo esse teste até começarmos a zombar de nós mesmos pra não perceber o quão simples é! Mas é tão legal!
Você também pode ler alguns capítulos do livro por esse trecho liberado pela editora AQUI
Achei a capa bem legal, a pegada atrás sugestiva, números ao redor, só fiquei com o pé “pra trás” (e vocês vão entender esse trocadilho se lerem o livro hahaha) com o título mesmo. Gostei bem mais dele em inglês: “Think of a Number”. O tamanho da letra é legal, o tamanho dos capítulos aumenta só um pouquinho gradualmente, enfim, foi ótimo de ler.
Comentem aí bem muito que sai promoção dele em breve! =)



John Verdon
Título Original: Think of a Number
Tradução: Ivanir Calado
Editora Arqueiro
Número de Páginas: 352

2sleep